[ editar artigo]

Ações do Sistema Fiep contribuem para enfrentamento da pandemia de Covid-19

Ações do Sistema Fiep contribuem para enfrentamento da pandemia de Covid-19

Técnicos, especialistas e alunos da entidade estão mobilizados para minimizar impactos para a indústria e buscar soluções para a crise sanitária

Desde o início da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, o Sistema Fiep, por meio das instituições que o compõem – Fiep, Sesi, Senai e IEL –, promove inúmeras iniciativas para apoiar a indústria paranaense e contribuir com o combate à doença. Mesmo com parte de suas atividades paralisada, especialmente nas ações de educação e outros serviços presenciais, diversos técnicos, especialistas e alunos da entidade estão mobilizados para orientar as indústrias e também produzir ou consertar materiais e equipamentos essenciais para a área de saúde. Um esforço que envolve, ainda, diversas empresas do setor no Paraná.

“A missão do Sistema Fiep é servir e fortalecer a indústria para melhorar a vida das pessoas”, afirma o presidente da entidade, Carlos Valter Martins Pedro. “Portanto, em momentos como este, em que atravessamos uma grave crise sanitária e econômica, nossas instituições têm a obrigação de promover ações que minimizem os impactos para o setor industrial e, acima de tudo, ajudem nos esforços para contenção da pandemia e preservação da saúde pública”, acrescenta.

Orientações para a indústria

Em defesa dos interesses da indústria paranaense, a Fiep tem buscado articulação com diferentes esferas do poder público pleiteando a adoção de medidas que reduzam as consequências econômicas para o setor. “Nossa preocupação primordial é com a saúde dos trabalhadores e de toda a população, mas é fundamental também encontrar soluções para a preservação da capacidade financeira das empresas e manutenção dos empregos”, reforça Carlos Valter.

Mais do que isso, advogados, economistas e outros especialistas da Fiep produzem boletins informativos diários com orientações para as indústrias, explicando como elas podem implantar várias das medidas já anunciadas pelos governos federal e estadual nas áreas trabalhista, tributária e de crédito, entre outras. Um trabalho que é reforçado pela equipe de médicos e especialistas do Sesi, que é referência em saúde e segurança na indústria. A instituição já produziu e divulgou cartilhas gratuitas em que aborda os principais sintomas e formas de se evitar a doença, além de instruções específicas sobre prevenção no ambiente de trabalho. Também foi criada uma Central de Saúde para esclarecer dúvidas sobre a Covid-19, que atende trabalhadores e indústrias via WhatsApp para esclarecimento de dúvidas.

Impressoras 3D são utilizadas para confecção de máscaras faciais plásticas

Manutenção de respiradores e confecção de máscaras

Entre as ações efetivas para colaborar com a saúde pública, destaca-se a desenvolvida pelo Instituto Senai de Tecnologia em Metalmecânica, em Maringá. Seguindo uma mobilização do Senai nacional, os técnicos estão recebendo respiradores mecânicos que estavam danificados e fora de operação, fazendo a manutenção e devolvendo os equipamentos para a operação em hospitais paranaenses.

“O Senai possui técnicos e laboratórios capacitados para prestar amplo atendimento à indústria e agora essa estrutura está voltada também para ajudar a sociedade no combate à pandemia”, afirma o presidente do Sistema Fiep. Até o momento, 14 respiradores já foram recebidos e mais 12 devem chegar ao instituto nos próximos dias. Novos pontos de manutenção estão sendo implantados na região de Curitiba, envolvendo unidades do Sistema Fiep e também duas montadoras de veículos e outras empresas.

Já equipes de professores e alunos das Faculdades da Indústria em Londrina e em São José dos Pinhais, utilizando impressoras 3D disponíveis na instituição, estão confeccionando máscaras faciais que são doadas a unidades de saúde. Na cidade do Norte do Paraná, em conjunto com outras instituições, foram produzidos 400 unidades em uma semana. A ação conta também com o apoio de estudantes do Colégio Sesi Internacional do município, que começaram uma campanha para conseguir mais insumos para a produção. Já na Região Metropolitana da capital, a equipe confeccionou 200 máscaras faciais completas, numa ação que reúne também algumas indústrias. Em Pato Branco, na região Sudoeste, a impressora 3D da Aceleradora Sistema Fiep também foi emprestada para a produção de máscaras.

Em Curitiba, estudantes da graduação em Design de Moda das Faculdades da Indústria iniciaram uma campanha para arrecadar fundos, adquirir materiais e confeccionar roupas hospitalares, que precisam de modelagem e tecidos específicos. Os uniformes também serão doados a unidades de saúde.

Instituto do Senai auxilia startup a desenvolver exame que diagnostica novo coronavírus em 10 minutos

Apoio a startups

O Sistema Fiep também está prestando apoio a startups que possuem soluções que podem contribuir com os esforços de contenção da pandemia. O Instituto Senai de Inovação em Eletroquímica, em Curitiba, ajuda a Hi Technologies a ampliar a disponibilização do Hilab, um teste capaz de diagnosticar o novo coronavírus em 10 minutos. A proposta foi uma das primeiras aprovadas pelas chamadas especiais do Edital de Inovação para a Indústria, em que serão destinados R$ 30 milhões em todo o país para projetos ligados à Covid-19. O Instituto está disponibilizando pesquisadores, infraestrutura e apoio financeiro para a startup. Outra acelerada do Sistema Fiep, a FullDNA trabalha com um teste que identifica o índice de susceptibilidade genética de cada pessoa ao novo vírus.

Para estimular que novas soluções surjam, o Senai no Paraná também está promovendo um Grand Prix Senai de Inovação com desafios relacionados à pandemia do novo coronavírus. A ação envolve estudantes e professores da instituição, que propõem alternativas que podem colaborar para a sociedade neste momento. Os resultados serão divulgados entre 20 e 23 de abril.

Envolvimento da indústria

Além de orientar as empresas e promover ações diretas, a Fiep e seus sindicatos filiados também têm se mobilizado para que as indústrias busquem alternativas para manter a produção e ajudar também a área de saúde. Muitas empresas já adaptaram suas linhas de produção e passaram a fabricar itens demandados nas ações de combate à proliferação e no tratamento do novo coronavírus. “A indústria do Paraná é forte e diversificada, e tem condições de adaptar sua produção para atender essas demandas emergenciais”, afirma o presidente do Sistema Fiep.

Entre várias outras iniciativas, indústrias de bonés de Apucarana iniciaram a confecção de máscaras para profissionais de saúde. Indústrias de Maringá, Cianorte, Cascavel e outras regiões também já fizeram a adequação necessária para produção de máscaras, aventais e colchões hospitalares. Outro setor que se mobilizou foi o sucroenergético, com a doação de álcool 70%, utilizado na higienização em centros de saúde. O produto também começou a ser fabricado por indústrias do setor de bebidas.

São mais de 30 opções de treinamentos online (Foto: Gelson Bampi)

Cursos a distância gratuitos

Para contribuir com os esforços de contenção da propagação do vírus, as aulas presenciais em todas as ações educacionais do Sistema Fiep foram suspensas, assim como os atendimentos pessoais nas unidades para outros serviços, que passaram a ser prestados remotamente. Além disso, parte do quadro de colaboradores entrou em férias coletivas.

Ainda assim, para que trabalhadores e gestores das indústrias e a população em geral pudessem seguir seu desenvolvimento profissional durante a quarentena, o Sistema Fiep disponibilizou mais de 30 cursos gratuitos a distância. São capacitações de vários níveis do Senai e do IEL, por meio das Faculdades da Indústria.

Por: Fiep

Observatório Sistema Fiep
Ler conteúdo completo
Indicados para você