[ editar artigo]

Leito robótico desenvolvido pelo Senai no Paraná pode reduzir complicações de saúde em pacientes de terapia in

Leito robótico desenvolvido pelo Senai no Paraná pode reduzir complicações de saúde em pacientes de terapia in

Equipamento, criado em conjunto com AMR Robotics, possui articulações que auxiliam na movimentação de pessoas que estão imobilizadas por longos períodos.

Pensando em minimizar os danos à saúde de pacientes que estão imobilizados em leitos de UTI, o Instituto Senai de Tecnologia em Metalmecânica, localizado em Maringá, desenvolveu, em parceria com a AMR Robotics, um protótipo de leito robótico que que auxilia na movimentação do corpo. Por ser uma ferramenta inovadora, criada para reduzir os efeitos causados pela má circulação, em pessoas que estão acamadas durante um longo período de tempo, trata-se de um projeto de grande interesse para a sociedade, trazendo impactos muito positivos para a saúde dos pacientes de terapia intensiva.

O cirurgião oncológico Leonardo Arnoni, fundador da AMR Robotics, conta que a ideia de desenvolver um leito robótico que tivesse todas essas funções surgiu de sua experiência como médico, ao observar todas as complicações a que estão sujeitos os pacientes de terapia intensiva. “Sempre existiu uma necessidade de evitar a estase no leito em pessoas com baixo ou nenhum nível de consciência, geralmente sob sedação moderada ou profunda. Isso porque a imobilidade durante períodos prolongados traz diversos malefícios à saúde, incluindo tromboses, escaras, adinamia intestinal, perda e atrofia de massa muscular, alterações em ciclo circadiano, perda da capacidade pulmonar, banhos ineficazes, entre outros”, explica. Para a elaboração do projeto, também foi ouvida a experiência do médico intensivista Márcio Ronaldo, sócio de Leonardo na AMR Robotics.

Muitas dessas complicações podem ser minimizadas com a utilização do leito robótico. “O robô é programado de maneira personalizada e executa movimentos lentos e precisos que alternam áreas pressóricas em decúbito. Também permite que o paciente fique em posição ereta, auxiliando em momentos como alimentação, desmame ventilatório, recrutamento alveolar, entre outras ocasiões. Portanto, o equipamento é de fundamental importância para redução de tempo de internação e recuperação adequada”, conclui. De acordo com Leonardo, após a homologação do equipamento, a ideia é buscar parceiros dentro da indústria para sua produção em larga escala.

Juliano Coelho, consultor de PDI e líder técnico da área de Desenvolvimento de Produto do Instituto Senai de Tecnologia em Metalmecânica, explica mais detalhes sobre o equipamento. “Para esse desenvolvimento, foram utilizadas diversas tecnologias de ponta disponíveis no Instituto. Etapas imprescindíveis para uma solução coesa foram aplicadas ao desenvolvimento, sendo, Design e Engenharia de forma integrada, simulação computacional, impressão 3D, digitalização por luz estruturada, usinagem 5 Eixos, eletro erosão a fio, corte e conformação de aços entre outros. Tivemos uma grande satisfação em trabalhar nesse projeto, podendo atuar diretamente em um equipamento com esse diferencial tecnológico e inovador para a área médico-hospitalar”, conta.

Desta forma, o leito apresenta diversas articulações, que podem ser acionadas para alterar a posição do paciente, deixando de ser convencionalmente horizontal ao assumir o formato de uma cadeira, por exemplo, ou até ficar na posição vertical. Também há a possibilidade de realizar a movimentação de apenas um membro, fazendo um trabalho fisioterápico, sendo possível, portanto, utilizá-lo não apenas com pacientes de UTI, mas também para tratamento de pessoas com outros tipos de trauma ou paraplégicas, simulando diversas posturas utilizadas diariamente.

Sobre o IST Metalmecânica

Localizado em Maringá, IST em Metalmecânica possui ampla estrutura para atender as demandas da indústria, desenvolvendo soluções tecnológicas integradas, aplicadas a produtos e processos, com foco na sustentabilidade e no desenvolvimento industrial de pequenas, médias e grandes empresas de vários setores industriais. A unidade faz parte de uma rede de sete institutos de tecnologia do Senai no Paraná, além de outros dois institutos de inovação, Hub de Inteligência Artificial e Centro de Mobilidade Sustentável. Por meio deste ecossistema de inovação, o Senai no Paraná objetiva apoiar as indústrias na modernização e atualização oferecendo soluções para promover a aplicação da tecnologia de acordo com as demandas de cada empresa.

Saiba mais em https://www.senaipr.org.br/tecnologiaeinovacao  .

Observatório Sistema Fiep
Ler conteúdo completo
Indicados para você