[ editar artigo]

Professores do Senai de Maringá desenvolvem cartilha com orientações para ensino a distância

Professores do Senai de Maringá desenvolvem cartilha com orientações para ensino a distância

A cartilha “Ada – distância sim, sozinhos nunca” foi premiada com o primeiro lugar no desafio nacional Grand Prix de Inovação Covid-19

Como adaptar suas aulas presenciais para o formato a distância? Esta foi a pergunta que guiou os professores Kleber Lopes Petry e Emerson Amaral, do curso técnico em informática no Senai em Maringá, no desenvolvimento da cartilha “Ada – distância sim, sozinhos nunca”. “Quando trabalhamos na sala de aula, presencialmente, há um convívio social. Sair deste convívio presencial para o remoto é um desafio. Sabemos que a internet tem muitas ferramentas boas e gratuitas. Então, nosso objetivo foi definir quais são as ferramentas  ideais e como adaptá-las para que o ambiente educacional continue ativo a distância”, conta Kleber. A cartilha rendeu para os professores o primeiro lugar no Grand Prix de Inovação Covid-19, desafio nacional do Senai que objetivou promover a criatividade por meio de soluções educacionais para o perído de pandemia.

Como professores de TI, a dupla decidiu homenagear a matemática Ada Lovelace, que criou o primeiro algoritmo para ser processado por uma máquina e foi a primeira programadora da história, dando o nome dela ao projeto. A cartilha traz orientação de ferramentas, critérios de gratificação e avaliação, sempre de forma atrativa e desafiadora para os estudantes do Senai. “Além de selecionar ferramentas efetivas, tivemos que levar em consideração o perfil dos alunos, pois não são todos que aderem e têm facilidade com tecnologia. Entre as nossas soluções, procuramos elencar sugestões que abrangem comunicação curta e instantânea, com com transmissões objetivas, e elementos de gamificação e desafios para os estudantes”, conta Kleber.

Em Maringá, professores do curso técnico em informática, de eletrônica, eletroeletrônica e automação já estão aderindo às sugestões da cartilha “Ada”. “Existem ainda validações para aperfeiçoar nosso produto e desafios pela frente, mas é muito gratificante e inspirador trabalhar em conjunto e ajudar outros professores, colaborando com a educação em tempos de pandemia”, comenta Emerson.

Cinco regras da cartilha “Ada – distância sim, sozinhos nunca”

Os professores elencaram cinco regras para melhorar a dinâmica das aulas virtuais. São elas:

  • Facilidade de encontrar as informações: todas as informações da aula devem estar com fácil acesso, seja atividade, a solução apresentada pelos alunos ou até mesmo o feedback das atividades.
  • Ferramentas acessíveis: busque ferramentas que sejam de fácil utilização ao meio que os alunos estão habituados. Não imponha ferramentas, apresente e veja se irá surtir efeito.
  • Respostas rápidas: adote um tempo de resposta menor. Evite o e-mail nessa abordagem, pois o tempo de resposta é longo comparado com uma mensagem instantânea.
  • Feedback: esteja sempre aberto ao feedback. Se algo não está dando certo, mude a estratégia o quanto antes.
  • Aulas mais curtas: fracione suas aulas ao vivo, não seja cansativo, utilize técnicas como a de pomodoro para o gerenciamento da atenção dos seus alunos.

Por: Senai PR

Observatório Sistema Fiep
Ler matéria completa
Indicados para você